Vigilantes têm plano de saúde suspenso e culpam empresa do ES

13022260b9f89ba909ee6dd940b38d82 1 Vigilantes têm plano de saúde suspenso e culpam empresa do ES

Na folha de pagamento do mês de setembro há o desconto de R$ 218,34 do plano de saúde da família de um vigilante, mas ele informou que serviço já estava suspenso (Foto: Divulgação)

Funcionários contam que mesmo sem plano, há descontos no salário.
Vigserv diz que está negociando com palno e vigilantes serão ressarcidos.

Vigilantes da empresa Vigserv, que atende várias cidades no Espírito Santo, estão reclamando que tiveram o plano de saúde suspenso e que mesmo assim o valor tem sido descontado do salário. Os problemas começaram há cerca de quatro meses, segundo os trabalhadores, que contaram que já chegaram a passar por constrangimentos ao tentarem se consultar. A empresa alegou que está em negociação com a operadora do plano e que os funcionários serão ressarcidos. O Ministério do Trabalho do Espírito Santo informou que denúncias podem ser feitas a qualquer momento.

Um vigilante, que preferiu não se identificar, contou que já gastou mais de R$ 600 com exames e consultas desde que o plano foi suspenso. Ele ainda alegou que a empresa não comunicou sobre a suspensão e nem os motivos. “O plano cobria a mim e minha esposa e desde o nascimento do nosso filho de quatro meses tentamos incluí-lo, mas não conseguimos. Ele está sem plano até hoje e temos que pagar tudo. Além disso, no final do mês aparece o desconto, sendo que não usamos o plano”, disse.

O trabalhador também relatou que sua esposa já passou por constrangimentos ao tentar fazer um exame. “Ela passou horas em jejum para fazer um exame, pois tem problemas na glândula da tireóide. Quando chegou á unidade, falaram que o plano estava suspenso por falta de pagamento, e acabou ficando feio para ela, mas não era culpa dela”, contou.

1CMP Vigilantes têm plano de saúde suspenso e culpam empresa do ES

Outro vigilante da empresa, que também não se identificou, contou que cancelou o plano nesta terça-feira (19) por não conseguir mais usá-lo. “Quando ligamos para a Vigserv, falam que vão resolver e nunca resolvem. Fui fazer uma consulta de rotina outro dia e não consegui, pois não tinha o dinheiro para pagar. Também tinha um raio-x marcado que não fiz também”, explicou.

O outro lado
A emprega Vigserv foi procurada pelo G1 e garantiu que a situação será contornada em breve. O coordenador de Recursos Humanos, Paulo Antônio, explicou que está em negociação com a operadora de plano de saúde que atende os funcionários, pois o valor do plano sofreu um reajuste que descontaria cerca de 20% do salários dos vigilantes, o que não é viável segundo a empresa.

“O salário deles não suporta isso. Eles ganham R$ 1001 e o plano iria para R$ 240. Isso individualmente, pois com o acréscimo da família aumenta mais ainda. Estamos tentando negociar com o plano desde setembro, para ver se abaixam o valor. Caso contrário, vamos procurar outra operadora”, disse.

Questionado sobre os descontos mesmo com o plano suspenso, o coordenador garantiu que os vigilantes serão ressarcidos. “Eles não vão ficar no prejuízo, isso nós garantimos. O que acontece é que o salário deles ainda vem descontados porque continuamos pagando o plano, mas eles suspenderam os serviços por não aceitarem o valor pago. Mas os vigilantes podem ficar tranquilos que vão receber esse dinheiro de volta”, falou.

O coordenador ainda explicou que o funcionário que tiver qualquer dúvida pode procurar a empresa, que está aberta ao diálogo. “Se a operadora topar nossa oferta, talvez essa semana mesmo o plano já volte. Caso precisemos trocar, também não vai levar muito tempo, é mais uma questão documental”, afirmou Paulo Antônio.

Ministério do Trabalho
O Ministério do Trabalho informou que os funcionários podem denunciar a situação junto a um auditor fiscal do trabalho. O setor de fiscalização do órgão esclareceu que nenhuma denúncia contra a empresa, específica dessa situação do corte no plano de saúde, foi realizada até o fechamento da reportagem, mas caso seja feita, uma equipe vai até a empresa e verifica tanto a situação denunciada quanto toda a relação da firma com os trabalhadores. As informações podem ser passadas de forma anônima.

Fonte G1.com
http://g1.globo.com/espirito-santo/noticia/2013/11/vigilantes-tem-plano-de-saude-suspenso-e-culpam-empresa-do-es.html

 Vigilantes têm plano de saúde suspenso e culpam empresa do ES
Você pode deixar uma resposta, ou Rastrear a partir de seu próprio site.

Deixe uma resposta

Google+
Powered by WordPress | Designed by: Premium Themes. | Thanks to Juicers, Free WP Themes and
Shares
http://vigilanteqap.com.br/loja2/wp-content/uploads/2016/07/fb.png http://vigilanteqap.com.br/loja2/wp-content/uploads/2016/07/INT.png http://vigilanteqap.com.br/loja2/wp-content/uploads/2016/07/sch-2.png http://vigilanteqap.com.br/loja2/wp-content/uploads/2016/07/tw.png http://vigilanteqap.com.br/loja2/wp-content/uploads/2016/07/you.png