Projeto obriga instituições bancárias a contratarem vigilantes mulheres

guardete Projeto obriga instituições bancárias a contratarem vigilantes mulheres
A proposta aprovada pela Assembleia quer preservar a intimidade feminina durante revistas e abordagens

Projeto obriga instituições bancárias a contratarem vigilantes mulheres

Nesta terça-feira foi aprovado na Assembleia Legislativa um projeto de lei, de autoria da deputada Janete de Sá (PMN), que obriga bancos e outras instituições financeiras a contratarem uma vigilante do sexo feminino para atender as mulheres. A medida, justifica o projeto, evita o constrangimento das clientes que são eventualmente submetidas a revistas e abordagens. Esse procedimento, muitas vezes, é realizado por homens.

1CMP Projeto obriga instituições bancárias a contratarem vigilantes mulheres

Na justificativa do Projeto de Lei 297/2013 a deputada afirma que a iniciativa pode evitar constrangimentos e desrespeito a intimidade das mulheres, e completa: “Atualmente, com o aumento da participação das mulheres no mercado de trabalho, vem ocorrendo um crescente aumento da presença de pessoas do sexo feminino em estabelecimento bancários, seja como público ou até mesmo as próprias funcionárias dos estabelecimentos”, destacou Janete.

A deputada afirma que a lei pode promover um aumento no número de vagas de emprego para as mulheres, em ocupações comumente destinadas a homens. Caso sancionada, todas as instituições financeiras (bancos, casas lotéricas, sociedades de crédito, associações de poupanças, agências dos Correios, correspondentes bancários e cooperativas singulares de crédito) deverão ter pelo menos uma mulher vigilante. Os estabelecimentos que não cumprirem a lei poderão ser multados.

 Projeto obriga instituições bancárias a contratarem vigilantes mulheres
Você pode deixar uma resposta, ou Rastrear a partir de seu próprio site.

3 Respostas para “Projeto obriga instituições bancárias a contratarem vigilantes mulheres”

  1. Isso mesmo!as mulheres ocupando os espaços dos homens,nós temos a mesmo competência quê eles.Quando fazemos o curso temos a certeza e convicção a escolha da nossa profissão,quando muitas mulheres passaram a fazer muitas vezes o papel de mãe e pai,por motivo pessoais daí por diante perderam o medo de encarar a realidade da vida.Acordamos a sociedade marista,parabéns a nós mulheres.

  2. kk disse:

    Pra mim isso aí é favoritismo! Seria o mesmo que criar uma lei que OBRIGA os salão a contratar homens porque 95% do seu quadro são mulheres… Em fim, governo de esquerda gosta de promover essas coisas, joga podre contra rico, gay contra hétero, homens contra mulheres… E assim vai! Aonde vamos parar!!!!!

Deixe uma resposta

Google+
Powered by WordPress | Designed by: Premium Themes. | Thanks to Juicers, Free WP Themes and
Shares
http://vigilanteqap.com.br/loja2/wp-content/uploads/2016/07/fb.png http://vigilanteqap.com.br/loja2/wp-content/uploads/2016/07/INT.png http://vigilanteqap.com.br/loja2/wp-content/uploads/2016/07/sch-2.png http://vigilanteqap.com.br/loja2/wp-content/uploads/2016/07/tw.png http://vigilanteqap.com.br/loja2/wp-content/uploads/2016/07/you.png