Uso de armas não letais gera polêmica na segurança

Brasília – Assunto pulsante no setor de segurança privada e pública, as armas não letais oferecem a possibilidade de conter situações de exaltação sem o risco de morte ou ferimentos graves. Entre as principais armas não letais estão a bala de borracha, gás lacrimogênio, spray de pimenta, Taser e Bastão de Choque. No Brasil, o uso de armas não letais arranca opiniões divergentes com relação à eficácia do equipamento e a real necessidade da utilização. Irenaldo Pereira Lima, diretor do Sindicato das Empresas de Segurança Privada, Sistemas de Segurança Eletrônica, Cursos de Formação e Transporte de Valores no Distrito Federal , diz que a implantação desse tipo de arma deveria ter sido feita há muito mais tempo. Ele cita como argumento o caso do torcedor são-paulino Nilton César de Jesus, baleado em abordagem policial no estádio Bezerrão, na cidade satélite do Gama, em 7 de dezembro. “Sou a favor das armas não letais. Em São Paulo, a guarda metropolitana dispõe de equipamentos como gás de pimenta e Tontha, os famosos cassetetes de policial, na mediação das operações, o que permite algemar e dominar os infratores sem haver morte ou ferimentos graves”, conta o diretor do sindicato. Irenaldo Lima defende o treinamento adequado para o manuseio dos equipamentos. “Para todo tipo de equipamento não letal, deve-se ter um treinamento”. Nas empresas de segurança privada, nem todos os equipamentos não letais podem auxiliar no exercício da atividade. Por se tratar de segurança patrimonial e o tratamento desse segmento possuir suas especificidades, não são todas as armas não letais que se adequam a função do vigilante. Equipamentos como o gás lacrimogênio ainda podem ser usados, mas não como único recurso. “Na segurança patrimonial, vejo as armas não letais de forma diferente, com um grau de importância menor. O assaltante não vai roubar munido de faca ou de um pedaço de pau e essa característica, na minha opinião, impede a maior utilização desse tipo de armamento na vigilância patrimonial”, afirma Lima.

21 thoughts to “Uso de armas não letais gera polêmica na segurança”

  1. boa noite sou vigilante patrimonial do rj.e nao concordaria nunca se um dia quisesem trocar o 38 dos vigilantes por armas letais porque bandido ja mais vai assaltar um patrimonio com armas letais ou de brinquedo,nao precisamos ir longe estamos vendo ao vivo o que esta acontecendo nao só no rj como em todo brasil grandes assaltos e homicidios tanto em grandes e pequenas empresas como em pessoa fisica,estamos ganhando um salario de 754,00 apenas e quando pedimos 30% de risco de vida se negam a dar esse complemento ja que o salario esta uma vergonha,cabe a todos empresarios e politicos faserem uma reuniao e reverem o salario da categoria dos vigilantes patrimonial.

  2. ola sou vigilante em cascavel pr concordo com o uso das armas não letais pelo seguinte motivo em algumas situações em que o vigilante se depara com uma situação que não te ofereça risco, conseguindo imobilizar a ameaça sem uso da arma de fogo seria uma boa porque essa lei defende os errados se o vigilante efetua um disparo mesmo que não atinja a ameaça ele corre varios riscos e punições.

  3. gostaria de saber se tem algum problema em usar-mos o spray de pimenta em serviço, como armamento complementar para casos que não tenhamos de usar a arma de fogo.EX:NO SEU POSTO DE SERVIÇO UMA PESSOA SE ALTERA E PERDE O CONTROLE PARTINDO PARA AGREÇÃO FISICA E O AGRESSOR É MAIS FORTE FISICAMENTE QUE O VIGILANTE.E se eu posso comprar por conta própria o spray de pimenta.

    AGRADEÇO PELA OPORTUNIDADE DE EXPRESSAR MINHAS DUVIDAS.

  4. Olá, acho muito interessante o uso de arma não letal como complemento para nós vigilantes, como o nosso amigo wagner rocha disse, tem ocasiões que o uso da arma de fogo pode traser complicações se mau usada, portanto a não letal ajudaria na solução de ocorrencias mais simples, sem traser complicação.

    Abraço a todos amigos VIGILANTES do brasil.

    Thiago Augusto Gomes.
    Empresa \”CenterFort Segurança e Proteção\”

  5. sou vigilante de SE e não concordo com essa nova lei q os Vigilantes não usem armar letais pois tem lugares como o q eu trabalho q não é banco e q precisam desse tipo de armamento(revolver) sim concordaria se isso fosse adotado para alguns tipos de posto e confirmo q q meu parceiro ai de cima fala eles só pensam em armas e nunca pessam em nossos ]salários q é uma vergonha nacional meu Imail é treloso_1@hotmail qualquer coisa manda um recado

  6. Olá, Gostaria de saber se a escala 12×36 é lei, pois estou numa empresa que a um 2 meses aderio essa escala dizendo que é lei, deixando muitos vigilantes revoltados pois trabalhavamos em uma escala 4×2,A empresa imformou que todas as impresas de seguranças deverão entra nessa escala 12×36.

    Gostaria de saber pois o meu sindicarto não informa nada!!

  7. e quem foi que deu essa ideia de trocar as armas de fogo por letais eu sou vigilante e não ficaria nada bem um vigilante patrimonial andar com armas letais…

  8. sou vigilante patrimonial do rj e gostaria de deixa um comunicado para todos os deputados federal e empresarios,que os mesmos aprovem os 30% de risco de vida dos vigilantes patrimonial do rj.porque o salario esta de fome.

  9. infelizmente nosso salario esta defazado msm,e é uma pouca vergonha essa micharia q nos pagam p/ arriscarmos nossa integridade fisica p/proteger seus patrimonios,em relação as armas ñ letais,acho q cada posto de trabalho necessita de um armamento especifico.

  10. ola sou vigilante de monitoramento ,sabem me dizer se a lei proibi usar tonfa,spray de pimenta e algemas no monitoramento

    \”sou do serviço de monitoramentos de alrme ,mas sou vigilante formado tb\’\’

    obrigado!
    andre rodrigues-pato branco-pr

  11. acho mais que nescessário equipamentos para inibir a criminalidade,devem vir acompanhados de treinamento e orientação a nós profissionais de segurança.ainda que tardiamente,essa aprovação é bem vinda e fico na espectativa da aprovação do projeto de lei 4340/08 que refere-se ao porte e isenção de taxa de registro de arma ao vigilante quando fora de serviço,para que nós voltemos para casa com segurança protegendo nossas até mesmo o patrimônio particular como carro,motos etc…abraço a todos vigilantes do Estado de SP e de todo o Brasil. :icon_palmas:

  12. Todos os vigilantes devem sim portar arma de fogo fora do trabalho, pois nossa categoria é tão visada pelos bandidos, quanto ser um policial. Um abraço a todos

  13. acho muito interressante o uso de equipamentos não letais, tanto para policiais quanto vigilantes, enfim toda a área de segurança ,assim podemos evitar lesões maiores e até mortes de inocentes como já vimos tantas .Eu parabéniso a todos que utilizam esse tipo de equipamento. AGRADEÇO Á ATENÇÃO :FÁBIO GM

  14. Ola´, sou vigilante do estado de Sao paulo e acho uma vegonha nosso salario e o pouco caso que fazem da nossa categoria.Deve sim ser liberado para o vigilante os equipamentos nao letais,e sou a favor do porte de arma e arma de fogo para vigilantes fora do horario de serviço.Estamos correndo um serio risco para ganhar uma merda de um salario enquanto outros por ai sem curso algum ganha muito mais.
    Obrigado até mais.

  15. acho muito importante essas armas não letais ,como ferramentas para o,nosso trabalho mas,não excluindo o 38,essas armas podem ser usadas em algumas situações de contenção,obtendo êxito.(um abraço a todos guerreiros, dessa categoria).DILMA ASSINA AI!QUEREMOS NOSSOS 30%.(LEANDRO ,VIGILANTE RN.

  16. trabalho em um fórum e gostaria de saber se posso comprar um equipamento de choque,e trabalhar com esse equipamento? pois trabalho com arma de fogo,e há muitas situações que a arma de fogo não se faz necessária,pois nós vgts:somos severamente punidos por uso da arma de fogo como todos sabem.
    Att vgt:Dácio Klug.

Deixe uma resposta