Vigilante é morto com sua própia arma.

O vigilante da sub-estação da COPEL -Companhia Paranaense de Energia Elétrica no munícipio de Campina Grande do Sul, Everson de Oliveiera Santos, 22 anos, foi morto com dois tiros no peito. O crime aconteceu durante a noite de Domingo, mas o corpo só foi encontrado, no início da madrugada de segunda - feira, por um colega de trabalho. Segundo o cabo Mauro, do 17º Batalhão da Polícia Militar, o rapaz morava e trabalhava há bastante tempo no local. "Foram ouvidos alguns familiares, mas nenhum deles soube dizer se ele estacva envolvido com algo que pudesse resultar no homícidio." A perita do Instituto Médico Legal Clarice Kravetz informou que não descarta que o vigilante Everson tenha sido morto com sua própria arma, já que ela foi encontrada ao lado do corpo." A arma estava sem projéteis no tambor", está é a análise da perita. Fonte: Jornal Tribuna matéria: 24/11/2009

5 thoughts to “Vigilante é morto com sua própia arma.”

  1. o mes de dezebro e o mas perigozo pra nos alertem os vigilantes po favo. eu tive um sonho e as perdas serao maiores ese mes agreditem botem no saite

  2. Muitos vigilantes acreditam que as horas mais criticas em um posto de serviço é das onze as tres e trinta hs da madrugada.

    Para mim e para outros tantos que tarbalham na area da segurança, horas criticas começam apartir do momento que saimos de casa pro serviço e que só terminam quando regressamos para o lar novamente.

    Infelizmente sempre haverá aqueles mais acomodados
    que acham que caos podem acontecer com todos menos com ele, estes chegam a roncar no posto e fazem do coldres e coturnos confortáveis travesseiros e na nossa area estas são a realidade mais cruel (o vacilo e o vacilão os quais dormem com os olhos dos outros).

    \”VIGILANTE É CONTRATADO PARA POLICIAR O POSTO DE SERVIÇO, MUITOS AO SE ESQUECEREM DISTO TERMINAM COMO O ACOMODADO LOGO A CIMA, OU SERÁ QUE DOIS TIROS NO PEITO E SINÔNIMO DE SUICÍDIO? CASO SEJÁ, PESSO QUE ME PERDOEM\”.

    …PARA TODOS UM FORTE. ABRAÇO!!!

Deixe uma resposta