Outro vigilante de escolta que também foi rendido pelos criminosos indicou o lugar em que o colega foi atingido e no local foram encontrados o celular da vítima

A Polícia Civil realizou, na tarde desta quinta-feira (18), uma perícia às margens da Rodovia Adhemar de Barros (SP-340), em Campinas(SP), onde um vigilante de 31 anos morreu após ser baleado durante um roubo a uma carga de componentes eletrônicos avaliados em R$ 1,6 milhão. Outro vigilante que também foi rendido pelos criminosos indicou o lugar em que o colega foi atingido e no local foram encontrados o celular da vítima, um revólver com cinco munições e duas boinas, que a polícia também acredita ser do segurança. Segundo os investigadores da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), que será responsável por apurar o crime, a polícia agora busca encontrar testemunhas que moram perto do local onde o caminhão e a escolta foram abordados e analisa imagens da concessionária Renovias, que administra o trecho, para tentar localizar os suspeitos.

Não resistiu

Wellington Braz Santos Martins foi socorrido ao Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp pelo resgate da Renovias, mas não resistiu aos ferimentos. A vítima será sepultada em Itatiba (SP), nesta sexta-feira (19). O roubo aconteceu na noite de quarta-feira (18), quando o caminhão carregado passou pela praça de pedágio e os criminosos atiraram no carro da escolta, atingindo Martins pelas costas.

Assalto

O motorista do veículo relatou à Polícia Rodoviária que o caminhão foi fechado por um carro modelo Vectra na altura do bairro Bananal, onde estavam quatro homens armados. Segundo a vítima, de 51 anos, um deles entrou no veículo pela janela do passageiro e fez ameaças para que ele dirigisse até uma rua de terra no bairro. No local, contou o motorista, outros oito homens encapuzados aguardavam para ajudar a transferir os produtos para outro caminhão. A vítima contou que a ação levou em torno de 15 minutos e, após fim da transferência, ele foi obrigado a permanecer deitado no matagal. A quadrilha fugiu, mas o caminhão da vítima foi deixado no local. Saiba mais

Bandidos mata vigilante de escolta armada e rouba carga de R$ 1,6 milhão

Destino da carga

Durante registro do boletim de ocorrência, o motorista disse à Polícia Civil que outro vigilante responsável por escoltar a carga foi obrigado a ajudar o grupo na transferência dos eletrônicos. A carga seria levada pela empresa Flextronics para a Motorola, em Jaguariúna (SP). A diretoria da Flextronics informou à EPTV que lamenta a morte do vigilante contratado por uma empresa terceirizada e que colabora com as investigações. Já a assessoria de imprensa da Motorola confirmou que a carga de eletrônicos é de uma empresa terceirizada.

Leave a Reply

Your email address will not be published.