'Despreparado', diz motorista sobre segurança que atirou em carro Funcionário que fazia Escolta acertou veículo de homem que passava por via. Polícia de Jundiaí (SP) abriu inquérito para investigar o caso.

O motorista que teve o carro baleado por uma escolta armada nesta quinta-feira (19), em Jundiaí (SP), afirmou que nada justifica a ação do segurança que realizou o disparo. Ele passava por uma via quando teve o carro atingido. “Tenho pena de um cidadão desses. Ele é totalmente despreparado para a função porque nada justifica atirar contra uma pessoa sem motivo”, afirma o técnico em segurança do trabalho Vinícius Ponceano. Aos policiais, o segurança informou que o homem passou ao lado da escolta de um caminhão e ele acreditou que o veículo pudesse ser assaltado. Ponceano conta que voltava para casa quando ultrapassou o caminhão que estava parado. De acordo com o técnico, o segurança puxou a arma e deu o tiro no carro após o motorista ter acelerado. O tiro atingiu o vidro do passageiro e, por pouco, não fez vítimas, já que a filha e a mulher de Ponceano tinham acabado de sair do carro. “Não quero nem imaginar um negócio desses. Fazia cinco minutos que eu tinha deixado a minha filha na escola. Se elas estivessem aqui, elas teriam sido atingidas porque a bala atravessou o vidro e acertou o puxador da outra porta.” Segundo o técnico, o homem estava em pé ao lado da carreta, que teria estacionado na via ao lado dos carros da escolta armada. Após ser dar conta de que o tiro tinha acertado o seu carro, Ponceano voltou para conversar o segurança, mas foi ignorado quando mencionou que iria chamar a polícia. “Eles manobraram a carreta e deram partida. Segui a escolta de longe até a hora que a polícia chegou”, explica. Escolta Após ter atirado no veículo, a equipe da escolta prestou depoimento na delegacia e o segurança relatou que pensou que fosse ser assaltado e por isso fez o disparo. Segundo boletim de ocorrência, o grupo fazia a segurança de uma carga de Belo Horizonte e seria entregue em Jundiaí. Nenhum responsável pela empresa se manifestou sobre o assunto. A arma utilizada pela escolta está registrada na Polícia Federal. O segurança apresentou certificado do curso de vigilante, mas segundo o delegado Josias Guimarães, anda justifica a imprudência. “Foi uma imprudência e uma negligência dele por ter efetuado um disparo sem os mínimos cuidados”, ressalta. A polícia abriu um inquérito para investigar o caso. O segurança vai ser indiciado por disparo de arma de fogo e a pena pode chegar a quatro anos de prisão.

    1 Response to "Vigilante de Escolta atira em veiculo que passava em via publica"

    • carlos eduardo lacerda barbosa

      Se as VTR fossem blindadas o índice de morte com escolta iriam reduzir 90%.

Leave a Reply

Your email address will not be published.