A segurança privada é o ramo de atividade econômica que tem, por objetivo, a proteção de patrimônios e de pessoas. Enquanto a segurança pública é dever do Estado, a segurança privada é uma faculdade de proteger a si, sua família, seus empregados, seus bens etc., nos limites permitidos pela lei.

Com origem no termo latim securĭtas, o conceito de segurança faz referência àquilo que tem a qualidade do que é seguro ou que está livre de perigo. Neste sentido, a segurança pública é um serviço que deve prestar o Estado para garantir a integridade física dos cidadãos e dos seus bens.

Desta forma, as forças de segurança do Estado encarregam-se de prevenir que sejam cometidos delitos e de perseguir os delinquentes, com a missão de os entregar ao Poder Judiciário. Este organismo tem a missão de aplicar os castigos que estipula a lei, que podem ir desde uma multa até à pena de morte, consoante o país e a gravidade do delito.

No entanto, tendo em conta a ineficácia da segurança estatal e a sua falta de alcance em certos casos, nasceu o negócio da segurança privada, onde diversas empresas estão incumbidas de disponibilizar guardas, vigilantes e diversos dispositivos a qualquer cidadão que os possa pagar.

Por questões de números, não há agentes de polícia suficientes para cuidar e proteger cada pessoa ou empresa. Por isso, quem se sentir em risco pode recorrer aos serviços de segurança privada e contratar um guarda (segurança) permanente. Da mesma forma, as empresas que queiram ter um vigilante que tome conta das respectivas instalações podem contratar este tipo de serviços.

Dependendo do país, os vigilantes privados podem ter ou não porte de armas de fogo e contar com diferentes atribuições delegadas pelo Estado. Em geral, o controlo do espaço público continua a estar exclusivamente limitado às forças de segurança estatais.

Abaixo Nota de um Leitor:

Partindo-se do principio do que foi dito acima, muitos profissionais que atuam nessa área acabam se sentindo desvalorizados pela função que exercem e por tudo aquilo que fazem, para em dias como hoje dar proteção a si próprios e também a terceiros e seus patrimônios. Em um país com dimensões continentais como o nosso, é visível a escalada da violência contra agentes de segurança privada, sendo que tal fato está tornando-se mais corriqueiro e por vezes até, mas VIOLENTO.

Acreditar que tal situação é algo que por muitos é aceitável, mas não faz sentido pois em vários seguimentos para que você possa TRABALHAR tranquilo, irá sempre depender de VIGILANTES, CONTROLADORES DE ACESSO, PORTEIROS entre outros. O que falta é respeito por parte do povo, para que tais profissionais tornem-se valorizados e bem mais respeitados.

Essa ESCALADA DE VIOLÊNCIA é algo que realmente me incomoda,ver a todo o momento na TV, INTERNET E JORNAIS informações de que pais de famílias estão sendo dizimados e nada acontece é algo que me enoja, pois enquanto os donos das grandes empresas estão lucrando, muitas famílias por ai estão ficando sem seus entes queridos, e ai me pergunto até quando?

Não sou nenhum expert, mas acredito que alguém tem que olhar com urgência para esses guerreiros e guerreiras que estão pedindo socorro, e que quando saem para trabalhar ou se empenham em alguma missão só querem voltar VIVOS para sua FAMÍLIA.

Acredito que lutar por melhorias em sua categoria, é muito válido e sempre irei apoiar isso, até porque a mescla da SEGURANÇA PÚBLICA COM A PRIVADA nos dará um BRASIL muito melhor e mais digno de se viver. Só que isso só será possível, no dia que os PATRÕES realmente resolverem lutar por seus funcionários, lhes pagando salários dignos e nos dando condições eficientes de trabalho.

Vamos lutar até o final, melhorias e condições dignas e acima de tudo respeito....só queremos respeito!

Por

Bruno Vieira Rodrigues


Leave a Reply

Your email address will not be published.