"Formado atualmente por 2.466 empresas especializadas, 4.788 carros-fortes, 703.150 vigilantes e 246.809 armas, segundo dados da Polícia Federal, o setor de segurança privada deu sua contribuição em audiência pública nessa sexta-feira (30/7) sobre as melhores práticas para assegurar a eficiência e a qualidade na prestação do serviço. O evento realizado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) visou promover a coleta do depoimento de autoridades e membros da sociedade para esclarecimentos técnicos e jurídicos sobre a segurança privada no Brasil e como o setor observa os direitos humanos."

 

Fonte: https://www.cnj.jus.br/pf-e-entidades-defendem-melhores-regras-para-fiscalizacao-da-seguranca-privada-no-brasil/


Leave a Reply

Your email address will not be published.