Em primeiro lugar, é importante destacar que o teste psicológico é uma etapa fundamental do processo de reciclagem dos vigilantes de segurança privada.

A avaliação psicológica é requisito básico para o exercício da atividade profissional de vigilante e está regulamentada por meio da IN 78/2014 da Polícia Federal (PF), instituição responsável pelo registro e controle do porte de arma e pela fiscalização da atividade de segurança privada. Apenas psicólogos credenciados pela PF podem fazer esse tipo de análise periódica.

De acordo com a SERCON , essa frequência é ideal para identificar se o vigilante tem controle sobre impulsos, emoções e agressividade. “Se o profissional tem atitudes impulsivas, corre-se o risco de ele apresentar uma reação inadequada diante de situações inusitadas”, explica. Além disso, o estresse é outro problema comum e que precisa ser avaliado. “A rotina de trabalho dos vigilantes é estressante. Muitos têm que conviver com eventos traumáticos, como assaltos.” 

Por isso, não é incomum a constatação de trabalhadores inaptos para exercer a função. Mas essa é uma questão polêmica, uma vez que não há consenso sobre o procedimento a ser adotado em tais casos. Não existe orientação institucional ou ajuste de conduta acordado entre os representantes de clínicas de psicologia, as empresas do segmento e os sindicatos patronal e dos empregados.

Caso o vigilante seja reprovado no teste psicológico, ele não poderá renovar sua licença para atuar como Vigilante. Isso significa que ele não poderá exercer suas funções e precisará buscar ajuda profissional para tratar qualquer problema emocional que tenha sido detectado no teste.

Vale lembrar que a reprovação no teste psicológico não é uma sentença definitiva. O vigilante poderá buscar ajuda profissional e fazer um novo teste após um determinado período.

Em resumo, a reprovação no teste psicológico é um indicativo de que o profissional não está apto a exercer suas funções como vigilante de segurança privada. É fundamental que os profissionais de segurança privada estejam em plena capacidade física e emocional para garantir a segurança de todos.

 

Em caso de reprovação no teste:

Este deve ser comparado aos processos anteriores para averiguar alterações nos padrões de respostas.

Uma nova entrevista é realizada para confrontar e/ou comprovar os dados obtidos.

Caso necessário, aplicam-se novos testes e contra provas em outra clínica.

A atitude a ser tomada não é fácil

A empresa pode dar férias, trocar de turno mas comente ai isso melhoraria ou pioraria a situação do Vigilante? Saber que está de férias porque não passou no teste psicológico.

Sem passar no teste e sem reciclar ele não pode trabalhar e a decisão do certo e errado do que se deve ser feito muitas vezes é buscada junto a justiça, mas e aí qual é a sua opinião?

 

Esperamos que este vídeo tenha sido esclarecedor e que tenha ajudado a entender o que acontece quando um vigilante de segurança privada é reprovado no teste psicológico necessário para fazer a reciclagem. Se você tiver alguma dúvida ou quiser compartilhar sua experiência, deixe um comentário abaixo. Obrigado por assistir!


Fonte:

https://serconmed.com.br/inapto-na-avaliacao-psicologica-periodica-de-vigilantes-o-que-fazer/




Leave a Reply

Your email address will not be published.